Cuphead o jogo do momento


Salve meus amigos mendigos! Hoje estou aqui pra falar do jogo do momento, Cuphead!
Sim, existe um hype enorme desse jogo que está no ápice, e não é à toa, os produtores principais do jogo, Jared Moldenhauer e seu irmão Chad Moldenhauer deixaram seus empregos e hipotecaram a casa pra montar
seu próprio estúdio, o Studio MDHR, e contratar mais pessoas para ajudar no desenvolvimento, e tanta determinação e paixão pelo projeto claro que se reflete no jogo em si.
Ele foi apresentado a primeira vez na E3 2014, e já chamou a atenção desde lá, principalmente da Microsoft que provavelmente bancou o game já que ela é distribuidora e ele é exclusivo de Xbox One e PC. O desenvolvimento durou anos até que finalmente no dia 29 de setembro desse ano o game foi lançado, e o impacto que ele causou na comun
idade gamer foi imediato!
Começando pelos visuais espetaculares inspirados nos desenhos clássicos dos anos 30, é o mais próximo que você vai sentir de jogar um desenho real de tão caprichado que é cada quadro de animação, tudo desenhado a mão, o que com certeza deu um puta trabalho, mas que no fim valeu muito a pena. A inspiração é tão forte que até os personagens principais, Cupehad e seu irmão Mugman parecem o Mickey, principalmente as roupas, eles são basicamente o Mickey com um copo no lugar da cabeça kkk.
Agora sobre o gameplay que gerou polemica pela sua dificuldade, o jogo se inspirou muito em jogos hardcore do passado como o lendário Contra da Konami e Guns Star do Mega Drive, só quem jogou esses jogos na época e quase destruiu os controles dando murro sabe kkkk
Mas, apesar disso ele tem todo o seu charme único, e suas próprias características também, como é quase que totalmente focado em chefes, e não em fases, que apesar de serem bem legais e desafiadoras parece mais como um bônus para os chefes que são o desafio principal. E que desafio! Como o game foi criado em cima dessas batalhas, cada chefe é extremamente caprichado e único tanto visualmente como na jogabilidade. A premissa aqui é a boa e velha tática de decorar os movimentos dos chefes (morrendo muito até conseguir) e aprender como funciona a batalha para poder vencer, mas para não ficar muito monótono cada chefe tem mais de uma fase, que dá uma variação legal no jogo além de poder mostrar toda a criatividade dos caras com transformações malucas, como dois 

sapos pugilistas se fundirem e virarem uma máquina de roleta. Bizarro, mas criativo!
Ah, e apesar do visual ‘’infantil’’, a história é meio sinistra, porque o vilão aqui é nada mais nada menos que o diabo! Cuphead e seu irmão Mugman vão para o cassino do capeta, e empolgados por estarem ganhando tudo apostam a alma deles com o próprio capiroto. É claro que eles perdem, e para não terem suas cabeças de xícaras 

arrancadas eles precisam viajar pelo mundo pra fazer cobrança pelo diabo, pegando as almas da galera que deve para ele. Parece bizarro, mas esse tipo de enredo era bem comum lá nos anos 30.
E é claro, a trilha sonora também segue esse clima vintage, toda composta por sinfonias de jazz bem características daquela época, e até tem uma trilha de samba aqui!

Resumindo, Cuphead é uma obra de arte, cheio de referências tanto para desenhos clássicos dos anos 30 quanto para jogos clássicos run ‘n gun dos 16 bits, com uma dificuldade bem desafiante que pode pegar alguns de calça arriada, mas também é a chance pra galera experimentar um jogo moderno com cara de clássico.

Então se você possui um Xone ou um PC, o que está esperando pra jogar essa maravilha hein?


Sobre o Editor
Renato Farias
E ae pessoal, sou o Renato 
roqueiro do mal hehe, vou postar 
bastante coisas sobre games antigos 
retros com meus comentários loucos, ehehehe. Fiquem ligados! Tamo junto galera!
Marcadores:

Postar um comentário

[facebook][blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget