Dezembro 2017

E aí gente, tudo bom?
Sentiram minha falta? Insira o meme da lua safada aqui
Hoje vim falar de um grupo que está bem famoso por terras brasileiras atualmente, vamos lá?
Mamamoo (em hangul: 마마무) é um grupo feminino feito pela empresa Rainbow Bridge World. O grupo é formado pelas integrantes Hwasa, Wheein, Solar e Moonbyul, Elas debutaram oficialmente em 18 de Junho de 2014 com a música Mr. Ambiguous. Confere aí!


O vídeo conta com a presença de vários idols, sendo eles: Jonghyun do CNBLUE, Baek Jiyoung, Wheesung, Jung Joonyoung, Bumkey e Rhymer. Donas do debut, não é?! A música foi considerada uma das melhores estreias do KPOP no ano.
Mas antes de debutar, as bonitinhas fizeram uma colaboração com o artista Bumkey, intitulada de “Don’t be Happy”. Também participaram da música “Peppermint Chocolate” do cantor K.Will, que também teve artistas como o Ravi do VIXX e o Wheesung.
Em Julho de 2014, o grupo também fez uma canção muito fofa para a trilha sonora do dorama Marriage, not Dating (aliás, muito bom!), intitulada de Love Lane, que você pode conferir aqui.
E bom, ao longo do tempo, as meninas foram participando de vários programas de TV, mas podemos dar um destaque para o Immortal Song, que foi o programa que ajudou o Mamamoo a conquistar a fama.
Mas claro, por próprio mérito.
Immortal Song é um programa da KBS, ele tem o intuito de dar um espaço para que idols de cantores recriem músicas antigas com a sua cara. Ou seja, eles reinterpretam músicas antigas e, se a pessoa que a fez ainda está viva, é chamada para assistir.
E bom, Mamamoo fez isso perfeitamente.
Com seus vocais fortes, carisma e presença de palco único, elas foram chamando a atenção do público, já que não eram famosas. Elas conseguiram levar o público a loucura todas as vezes que passaram naquele palco. Essas meninas são muito boas, todo mundo faz tudo! Dança, rap, canto... confere aí!


E por seus vocais extremamente potentes, carisma e a maneira com que lidam com o público, 2015 foi o ano do Mamamoo. Elas conseguiram MUITA atenção pelo talento, e não pela beleza como vemos hoje em dia. “Um Oh Ah Yeh” foi o primeiro hit do grupo, conseguindo uma posição boa nos charts e trazendo destaque para elas.
Mas como que elas estouraram de verdade?!
Mamamoo é conhecido por sempre trazer algo diferente para suas performances, ou seja, os fãs NUNCA ficam entediados porque elas sempre mudam algo, seja um pedaço da letra, a coreografia... nenhuma apresentação delas é a mesma! E seguindo essa vibe, elas fizeram um “Medley”, que você pode ver aqui (O Medley começa no 1:38):


M A R A V I L H O S A S
Depois disso, o nome “Mamamoo” começou a ficar muito mais familiar.
Em 2016, as meninas voltaram com o álbum “Melting”, sendo a faixa-título “You’re the Best”. Destaque também para “1Cm Taller”, uma música onde elas ficam se gabando da altura e excluindo a Wheein, integrante mais baixa. Dá uma olhada aí!


“You’re the best” conseguiu o primeiro lugar nos charts coreanos e a música lhes proporcionou a primeira vitória em um programa musical! Olha que lindo gente!


Mas o que torna Mamamoo tão especial?
Além do talento, o amor que elas têm pelos fãs é sensacional! Nas promoções do single “You’re the Best”, elas usaram roupas que os próprios fãs haviam desenhado/pedido. Elas prometeram que fariam uma performance vestidas de rabanete (o lightstick do grupo) quando ganhassem, e assim fizeram! E apesar de tudo, continuam humildes.
Confira mais algumas músicas do grupo e performances de arrepiar! :D


Sobre a Autora
Dani Santos
Uma deusa, uma louca, uma feiticeira?! Muito que bem! A louca dos bichos, cuida do K-pop por aqui e nas horas vagas, estuda, vê dorama e ama escrever, ler e entrar em contato com culturas novas. Se meteu de cabeça nesse mundo em 2012 e não pretende sair tão cedo. 

Salve pessoal como vão? Essa semana, vamos sair um pouco do suspense e ação e entrar um pouco naquele anime de aventura com um toque fofinho (afinal é bom variar), falo de CORRECTOR YUI!!


Uma homenagem original.
Kia Asamiya, conhecido por mangás e histórias mais voltadas para o público mais velho e masculino (o que não quer dizer obviamente que garotas não gostassem), resolveu sair um pouco do seu habitual e fazer uma série estilo Shoujo. Escolheu fazer uma homenageando o anime Sailor Moon, porém ao terminar, se nota muito também de Sakura Card Captor (talvez o cara fosse um fã das Sailors, mas produziu vendo a Sakura).
Apesar das muitas referências, o anime tem uma história bem original (focada no mundo virtual), então não pense que irão ver apenas um plágio sem vergonha, muito pelo contrário.



Mangás e Anime.
Não, vocês não leram errado (nem escrevi errado também), essa história realmente tem duas histórias em mangá, com ambas possuindo 5 edições e que foram feitas por:

Kia Asamiya – que fez o mangá que deu origem ao anime.

Keiko Okamoto – que fez um mangá posterior ao anime e se baseou nele (e não no mangá original) para escrever.
Ironicamente o mangá da Keiko é bem mais fácil de encontrar do que o original (e como poderão ver abaixo, há uma certa diferença no traço)


Mangá Kia Asamiya


Mangá Keiko Okamoto

O anime possui um total de 52 episódios (um bom número, considerando que o mangá é tão curto), foi feito entre 1999 e 2000 (juntamente com o mangá) e possui 2 temporadas, cada uma com 26 episódios.
Aqui no Brasil, ele foi exibido apenas no Cartoon Network, no começo da década de 2000.



Um breve resumo (nada de Spoiler!)
No ano de 2020 (será que estaremos assim até lá?), as pessoas estão totalmente integradas a rede de computadores (Com.net), porém Yui Kasuga não é uma especialista em computação, tanto que sempre tem problemas pra mexer lá. Acaba acidentalmente sendo recrutada por um programa “Corrector” (chamado I.R.) para ajudar eles a combater o vilão virtual Grosser. Ela assim torna-se a “Corrector Yui” e contará com a ajuda de diversos outros programas correctors nessa missão.


Curiosidades.
Como comentei no começo, esse é um anime inicialmente feito como uma espécie de homenagem e poderemos ver isso tanto na transformação da corrector (aqui no caso lembra Sailor Moon), como no bastão que ela usa (lembra muito o da Sakura Card Captor). Apesar de tantas referências, como poderão ver no vídeo abaixo e nas imagens, ele conseguiu criar um charme próprio para a personagem e para o anime.
https://www.youtube.com/watch?time_continue=8&v=8dAgxX866ng


Deixarei para finalizar aqui a abertura em português do anime (que pra mim ficou melhor que a original), pra abrir mais a curiosidade de vocês.
https://www.youtube.com/watch?v=_58g2l4e3UY
Gostaram? Podem dizer o que acharam e se tiverem sugestões, é só mandar!
Até a próxima semana!


Sobre o Autor
Luiz Fernando Mutschele
fã de esportes, games, mitologia, ler, escrever e claro... de animes!
Um dos órfãos da extinta Tv Manchete e acredita que Cavaleiros é o melhor anime da história(porque é mesmo u.u) Estarei aqui semanalmente para mostrar desde animes famosos, até aqueles que vocês pensarão: "puxa, preciso assistir". 


É engraçado ver como todas as HQ (histórias em quadrinhos) que foram criadas desde os anos 50, até os dias de hoje, serviram de base para toda essa leva de filmes
de super heróis, e pensar que algum critico de cinema certa vez disse que a era dos Heróis já tinha acabado. As séries também relacionadas a heróis tem dominado as emissoras, na minha época, o único super herói que acompanhávamos aos domingos era o "super boi" mais conhecido como Smallville, série que o finado Davi gostava muito. Nos dias de hoje me alegra saber que estão focando em heróis também pouco conhecidos e não apenas os heróis de elite que sempre conseguiam os melhores "papéis" por assim dizer.
É fato também que os animes foi algo que mexeu muito com o mundo de uns anos pra cá, a quantidade de novas histórias e de títulos é absurda, eu mesmo não tinha noção da proporção de tantos animes e mangás que existem. São variadas histórias, variados personagens e de todos os estilos, até mesmo os hentais estão no meio.
Lembro também de tentarem adaptar Dragon Ball para o cinema, aquilo foi horrível! Apesar da vontade que a galera ficou na época em assistir o filme, foi realmente algo para se esquecer, graças a Deus. Os filmes baseados em histórias em quadrinhos seguiram outro rumo, apesar de alguns deles também serem tão ruins quanto Dragon Ball, mas fazer o que, é preciso quebrar alguns ovos para se fazer um omelete.
Hoje em dia tudo isso acabou, sendo unificado em um só universo entre os fãs e até os que não são fãs, afinal praticamente se criou o gênero "Super Herói" nos cinemas.
Essa cultura "POP" certamente mexeu com muitas pessoas, especialmente a galera mais antiga, mais Old School.


Quem pegou tudo isso desde o começo, no meu caso peguei uma boa parte, e ver todas as histórias em quadrinhos que eu lia e copiava os desenhos virando "realidade" é praticamente um sonho inconsciente se realizando.
Boa parte das coisas que citei, fez parte da minha infância e adolescência, foram grandes influencias pra uma época em que não existia tanta tecnologia e principalmente redes sociais, era apenas eu no meu mundo e às vezes conseguia trazer alguns amigos para fazer parte dele.
Essa cultura conseguiu mudar o mundo em menos de vinte anos, o que era nerd e zuado, hoje se tornou "Cool" e descolado.
O que era coisa de pessoas mais retraídas e caseiras se tornou coisa de pessoas que até trabalham em grandes empresas.
Prova disso são as modelos que praticamente tomaram os lugares das meninas que faziam cosplay por realmente gostarem e não apenas por imagem, claro que não estou dizendo que todas as modelos fazem apenas por imagem, claro que devem
existir modelos que também são super fã dessa cultura que dominou tudo em tão pouco tempo.
O que podemos esperar nos próximos anos com certeza é a expansão de tudo isso e que só tende a crescer mais e mais

E os que odeiam tanto essa cultura (os conhecidos HATERS) vão ter que engolir essa nova era!


Sobre o autor
Elvis matos
Elvis, odeia toda raça humana,
vive enchendo a cara fazendo
seus amigos passarem vergonha
em publico, nas horas vagas implica com o Rodrigo.

Salve meus queridos mendigos feiosos, hoje vou escrever sobre o game mais comentado do momento e talvez o game do ano, Super Mario Odissey, lançado para o Nintendo Switch em 27 de outubro desse ano. Infelizmente eu sou um dos que não jogaram o jogo ainda porque não tenho Switch, mas li muitas matérias e assisti vídeos de ana
lise, morrendo de vontade de jogar, mas fazer o que.
Como é de lei em praticamente todo console novo da Nintendo tem que sair um Mario de plataforma, e sempre ele revoluciona em algo, foi assim com todos seus games anteriores e é claro que no caso do Odissey não foi diferente, sendo um dos games mais bem avaliados da história de acordo com o site Metacritic, que pega as notas de sites e revistas e faz uma média geral delas, no caso do Odissey ele tem impressionantes 97, só ficando atrás do Zelda Breath of The Wild esse ano, o que prova que 2017 a Nintendo ta com tudo, foi uma ótima maneira de começar seu novo console, com dois jogos espetaculares das duas maiores franquias da Big N.
Mas vamos falar um pouco sobre o jogo. A história não muda muito, mais uma vez Bowser sequestrando a Peach, apesar de que dessa vez além de sequestrar ele quer casar com ela a força (Safado esse Bowser hein), e pra piorar Mario é derrotado logo nesse inicio. Mas quando as esperanças pareciam perdidas, Mario encontra um chapéu chamado Cappy que se torna o mais novo companheiro de aventura do bigodudo para resgatar a princesa de novo.
E essa é a principal novidade desse jogo, o uso do chapéu. O chapéu clássico de Mario até tinha certa utilidade antes, tipo no Mario 64 onde você poderia voar usando ele, mas a utilidade de Cappy está em um nível totalmente diferente, ele é a base pra esse jogo, Mario pode jogar pra atacar inimigos ou usar o chapéu como plataforma jogando ele pra frente e pulando em cima, o que combinado com os diversos pulos e habilidades do bigodudo gera muitas possibilidades de movimentação.
E é claro, a principal novidade do chapéu sem dúvida é poder possuir os inimigos, sendo mais um exemplo daquela ideia maluca que só a Nintendo poderia ter e só ela poderia fazer direito. Mario pode possuir vários tipos de inimigos, que vai desde os clássicos goombas, passando por aquelas bolas raivosas que traumatizou as nossas infâncias e até mesmo um dinossauro!
Isso sem falar nos cenários, tipo a New Donk City que além de ser uma clara referencia à Donkey Kong, tem todo um charme especial por ser baseada em Nova York, mas ao contrário de outros jogos que essa combinação de lugar realidade e fantasia dão muito errado, aqui ver Mario correndo em uma cidade pulando por carros e passando por pessoas é estranhamente bem natural!  Como eu não joguei eu não sei direito como são os outros cenários, mas já vi um de deserto e outro de floresta que estão sensacionais também, os cenários voltaram a ser mais abertos e cheio de objetivos no maior estilo Mario 64, mas aqui ao invés de estrelas pegamos Power moons, que pelo que entendi serve também como moeda pra comprar coisas como várias roupas alternativas, e até abastecer a nave maluca do Mario em forma de chapéu também.
Os gráficos também estão sensacionais, não só a beleza deles em si, mas a direção de arte também ta excelente como sempre, o capricho das animações é visível, parece cada vez mais com aqueles filmes da Pixar. O som também ta muito bom como sempre, tem até uma música cantada que é bem legal se eu não me engano cantada pela Pauline, aquela personagem antiga dos primeiros Marios quando se chamava Jumpman. Enfim, é isso que eu tinha pra falar, apesar de não ter jogado esse jogo vi muitos vídeos de gameplay com água na boca e olhos arregalados, to ansioso pra jogar ele e voltar pra fazer uma analise mais aprofundada.
Até mais mendigos feiosos!


Sobre o Editor
Renato Farias
E ae pessoal, sou o Renato 
roqueiro do mal hehe, vou postar 
bastante coisas sobre games antigos 
retros com meus comentários loucos, ehehehe. Fiquem ligados! Tamo junto galera!




Eu, como organizador de eventos sobre a cultura POP japonesa, não poderia deixar de escrever sobre esse tema. Afinal, a meu ver os cosplays são a alma dos eventos. 
É o grande diferencial comparado aos eventos de outros segmentos.
Quem nunca teve vontade de tirar uma foto com seu personagem preferido,
de algum desenho, anime, serie e até filme ? 
Poder ficar ao lado de Goku "O salvador da terra" ou ao lado de Vegeta
o príncipe dos sayajins e ouvi-lo chamar os outros de vermes malditos? Um sonho!
Ao lado do Batman fazendo cara de mal (no meu caso é só ficar perto do Rodrigo que é a mesma coisa).
E até mesmo ao lado da incrível armadura do babaca do Toni S
tark, mais conhecido como Toni Sterco, ou Homem de ferro, como preferir.
A parada é realmente levada muito a sério pelos que praticam a arte do Cosplay, eles realmente tratam isso como se fosse um trabalho, são super comprometidos com o desenvolvimento de cada parte de seu traje.
Desde a luva, até a capa surrupiada da sala de estar da mãe, é brincadeira viu galera, não fiquem bravinhos comigo.
A verdade é que sempre estão tentando melhorar os pequenos detalhes, que na real fazem toda diferença.
O nível cresce muito a cada ano que passa, eu fico surpreso, e pessoalmente gosto muito dos cosplays femininos, pela grande combinação de delicadeza e sensualidade que elas conseguem expor. Afinal de contas vocês mulheres adoram estar sempre todas bem arrumadas, e no mundo cosplay não é diferente.
Existem também os que conseguem fazer grandes armaduras, e o mais difícil ainda conseguem transitar pelo evento com todo aquele peso em seu corpo, esses caras merecem um Oscar!
Enfim, existem cosplays de todos os jeitos, e essa é a graça da coisa, a grande diversidade nesse mundo.
Apesar da maioria dos cosplays serem adultos (que no caso é uma ironia, pois segundo a sociedade se fantasiar é coisa de criança)
A quantidade de pessoas, e a grande variedade de idade cresceram muito ao decorrer dos anos.
Hoje em dia é muito comum ver famílias inteiras fazendo cosplay juntos, algo que se parar pra pensar a 10 anos atrás geralmente apenas amigos compartilhavam isso.
É fato que não sou nenhum expert na "Arte de se fantasiar" nunca fiz nenhum cosplay (talvez de pobre, mendigo, mas ai não seria cosplay, no caso seria minha verdadeira identidade).
Mas nitidamente se vê que é algo que sempre vai continuar a crescer.
O movimento é muito forte, e eu não ficaria surpreso se fazer cosplay se torna-se um emprego de carteira assinada. Quem sabe um dia, tudo é possível.
Forte abrazzz


Sobre o Autor
Elvis matos
Elvis, odeia toda raça humana,
vive enchendo a cara fazendo
seus amigos passarem vergonha
em publico, nas horas vagas implica com o Rodrigo.



É ISSO MESMOOOOOOOOOOOOO

E aí gente, tudo bom? Hoje eu tô um pouco MUITO alterada.

O TVXQ voltou do hiatus oficialmente!!!!! ESSE MOMENTO É MEUUUUUUUUUUUUUUUUU


Tá, infelizmente não é com os 5, mas já é algo, né?!

Para quem não conhece: TVXQ (também conhecido como Dong Bang Shin Ki) é um grupo formado pela SM Entertainment, sendo seu ano de estréia 2003. Inicialmente tendo a formação de 5 meninos, o grupo foi uma febre na Ásia toda, quebrando diversos recordes e sendo um ícone na área da música. Infelizmente, em 2009, os integrantes Jaejoong, Yoochun e Junsu deixaram a agência e foram para a CJes Entertainment, onde formaram o grupo chamado JYJ. Os integrantes restantes Yunho e Changmin continuaram na empresa e seguiram com o nome TVXQ.

Porém, em 2015, o grupo lançou duas músicas antes de anunciarem o hiatus por conta do serviço militar obrigatório de ambos. Eles liberaram o mini álbum Rise as God, sendo os singles Champagne do Yunho e Rise as One, do Changmin! Foi uma despedida e tanta, mas deixaram saudades... ainda mais pra cassiopeia louca aqui.

E, após dois longos anos...


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Eles finalmente voltaram!!! O grupo já anunciou dois singles, sendo o do Yunho a música Drop, que é super agitada, a típica de bater cabelo. Já o Changmin optou por algo mais calmo, sabe? Bem sofredora que escuta sertanejo pensando no ex. Ah, o nome da música dele, antes que eu me esqueça, é In a Different Life.

A volta deles é algo extremamente impactante para o K-pop, pois o grupo foi uma grande influência para as músicas e grupos que conhecemos (e escutamos) hoje! Aguardamos ansiosamente o retorno das lendas aos palcos, e, para quem não conhece, conheçam um pouquinho do trabalho deles!







E aí, gostaram? São muito bons, né?! Não se esqueçam de seguir os Animendigos nas redes sociais e fiquem atentos ao blog! Muito obrigada pela atenção e até a próxima semana!!


Sobre a Autora
Dani Santos
Uma deusa, uma louca, uma feiticeira?! Muito que bem! A louca dos bichos, cuida do K-pop por aqui e nas horas vagas, estuda, vê dorama e ama escrever, ler e entrar em contato com culturas novas. Se meteu de cabeça nesse mundo em 2012 e não pretende sair tão cedo. 

Pra quem viveu nas décadas de 80, 90 e até no começo dos anos 2000 e teve um super Nintendo, com certeza já jogou Rock n’ Roll Racing! Batidas, obstáculos e muito rock! yeah, baby!
O Heavy metal machines chegou com tudo esse ano! O jogo se passa numa terra pós-apocalíptica onde corredores insanos apostam corridas como gladiadores! Quem morrer perde! Criado plea Hoplon, Ele é um multiplayer com uma trilha sonora incrível, acompanha modificações, Classes e carros diferentes para cada tipo de jogo! O jogo é tipo um moba, só que um pouco mais interessante! Vai vendo!                

CLASSES
OS SUPORTES
Os suportes são voltados a ajudar os transportadores a levarem a bomba. Para isso, contam com reparos e proteções. Também auxiliam os interceptadores a pegar a bomba de volta, atrapalhando os oponentes.
INTERCEPTADOR
Os interceptadores são especializados em impedir oponentes de levar a bomba. Possuem armas que jogam inimigos para os derrubadores ou causam uma grande quantidade de dano. O foco é derrubar a bomba!
TRANSPORTADOR
Os transportadores são especialistas em levar a bomba. Resistência, velocidade e agilidade são algumas das suas características.
Ah, mas Moba é tipo Dota e lol: Dois times e torres pra levar. Errado cara! Em heavy metal machines não tem essa de torre! É na habilidade mesmo! O objetivo do jogo é pegar a bomba e solta-la na base inimiga. Parece fácil? Parece, né? Mas não é! Enquanto os jogadores que não estão com bomba tem caminho livre, o infeliz que está carregando tem que seguir um trajeto delicado. Parece difícil? E piora! Enquanto você tá suavão levando a bomba, existem obstáculos como rio de lavas e inimigos focando em você a todo o momento.

A boa noticia para os gamers daqui do Brasil é que o jogo é totalmente traduzido e agora, nesse dia, lançaram a dublador do detonator no jogo! Nada melhor que um jogo de boa qualidade completamente traduzido não?

O jogo está disponível gratuitamente na Steam, e apesar de ser um game bem desenvolvido, não é o tipo de jogo Pay to win ( Pagar para vencer ). Em heavt metal machines é habilidade e rock!

                                 Sobre o Autor
Vínicius Ibrahim
" [...] O que te preocupa, te escraviza. " - Jhon Locke
Aquele carinha louco dos jogos, Aficionado por tecnologia e 
em ajudar os outros. No Grupo Animendogos é o responsável 
Em Artigos Relativos A games, tecnologia e quanto a manutenção
do site! 

Em meados de 2004, quando eu ainda era pivete, um louco que só se vestia de preto (RODRIGO), teve a grande ideia de fazer caravanas para levar a galera do bairro para os eventos de anime que rolava em São Paulo. 
Era algo novo pra gente, afinal morávamos em Guarulhos, mais especificamente no local mais seguro, bairro dos Pimentas.Haviam várias pessoas caracterizadas de personagens dos nossos games, animes e desenhos favoritos.
Várias pessoas juntas em um só lugar com os mesmos gostos, a coisa era de Nerds que gostavam da cultura japonesa mesmo, eram eventos raízes se posso assim dizer.
Os eventos de antigamente eram diferentes dos atuais, a parada era mais centrada em quem ia porque realmente gostava daquele universo, hoje em dia os eventos se tornaram mais populares, se tornou algo para o público em geral!
Não que isso seja algo ruim, é muito legal ver os pais, avós, tios acompanharem suas crianças e ver que os eventos vão além de coisas de crianças como muitos pensavam. O grande problema mesmo foi a mudança drástica no valor cobrado pelos ingressos e a baixa qualidade cedida atualmente, a baixa qualidade de atrações apresentadas, os eventos se tornaram um grande comércio de artigos importados do Japão. Ou seja, você paga caríssimo em um ingresso, para entrar em um evento que tem muito pouco a lhe oferecer de atrações, e ainda tem que gastar mais e mais lá dentro...
Claro que também existem outros grandes eventos no Brasil que abrangem toooda a cultura GEEK, e os ingressos também não são nada baratos, poooorém ai que está a grande questão, cada centavo gasto nesse ingresso é totalmente recompensado com a estrutura do evento, realmente é algo que vale a pena se aventurar e tirar as verdinhas do bolso.
Também existe um ÚNICO evento que é totalmente gratuito, que se localiza na cidade de Guarulhos, organizado por um grupo de amigos, denominado ANIMENDIGOS. É isso mesmo, estou falando do ANIME GUARULHOS FESTIVAL mais conhecido como AGF!
Um evento com a entrada totalmente gratuita, com diversas atrações, desde salas com temas de animes, filmes e séries. Até palestras com grandes dubladores brasileiros que fizeram história nas telinhas.
O evento também visa alcançar o máximo de pessoas que não tem tantas condições, é um evento para todos que vivem em meio à falta de entretenimento gratuito pela cidade, é destinado também aos grandes fãs, valorizar artistas locais e também para os curiosos de plantão.
Apesar de tudo, é muito bom saber que os eventos foram tão bem aceitos pelo público brasileiro, desde os gigantes, até os menores, todos ajudaram na difusão para as empresas apoiarem e investirem, o que faz a cada ano crescer mais e mais esse segmento.
Eu como organizador, sei mais do que ninguém como é trabalhoso organizar um evento, é desgastante, te ocupa horas, e até dias, sempre tem imprevistos e as coisas ficam completamente loucas bem no meio do evento. É até meio engraçado citar isso, porque geralmente as pessoas acham que é só chegar e fazer, tipo fazer um almoço de domingo.. que na verdade também não é nada fácil, porque eu também não sei cozinhar.. mas enfim, mesmo com tudo isso, ainda é muito legal poder estar no meio disso tudo, é satisfatório quando alguém do publico vem e fala com a gente, agradece pelo evento.
Aaa e vocês ai que adoram criticar, que vão lá na internet chutam o balde e soltam os cães na organização, pesquisem, vejam como é complicado fazer um evento e parem de ser HATERBOYS.


Forte abrazz
Sobre o autor
Elvis matos
Elvis, odeia toda raça humana,
vive enchendo a cara fazendo
seus amigos passarem vergonha
em publico, nas horas vagas implica com o Rodrigo.



MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget